Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Blog

“Pra mim é tudo punk”

30.08.2010 por Carito

Ricardo Baya é foda. É um guitarrista de mão cheia – cheia de técnica, criatividade e principalmente: alma!

Meu amigo-guitarrista-parceiro-cumpadre Edu Gomez pode ficar com ciúmes, mas eu tenho que dizer isso: Ricardo Baya é foda! Assim como Edu, Baya sabe da importância de tudo, que técnica é tão importante quanto timbre, textura, pedaleira, pode ser jazz, pauleira. Pra mim, aqui em Natal, Edu Gomez e Ricardo Baya se destacam nesse sentido. Os caras têm um feeling da puta!

Eu já tinha visto Baya tocar em um show de Valéria Oliveira. E ali, pra mim, o cara foi o destaque na escola de bambas. Todos os caras tocando com Valéria são bons, mas Baya se destaca.

O mesmo aconteceu nessa sexta-feira passada, 30 de agosto, no show da Alcatéia Maldita no Nalva Melo Café Salão, estando à frente da matilha o velho lobo Raul. Baya deu peso, técnica, beleza, sem perder a espontaneidade jamais! Sabendo ser preciso e também ser improviso.

Civone Medeiros abrindo o show...

...de uma Alcatéia da pesada - da esquerda para a direita: Júlio Lima, Raul, Fidja e Ricardo Baya.

A Alcatéia Maldita é uma verdadeira banda de rock, e não tem essa de rock local, potiguar, não-sei-quê, rock certinho não! É rock brasileiro com cara de bandido, é rock do planeta terra, da Floresta Marrom, e de todos os lugares, de fora, de dentro, bem dentro, pulsando junto da batera de Fidja, dos cabelos de Julinho lembrando Glenn Hughes, do agogô de Raul levando todos ao delírio com uma porrada – a porrada do som, uma porrada de músicas inéditas, refazendo tudo, guariroba, insistente guariroba…  “Penso, logo insisto”.

O homem é o lobo do homem, o homem é o bobo do homem, todo homem é uma ilha, todo homem é uma matilha.

Eu vou uivando junto, fã desde os velhos tempos do Festival do Forte… Do Festival do Forte a Nalva Café e onde mais tiver…

Banner de divulgação do show “Penso, logo insisto” da banda Alcatéia Maldita, com Civone Medeiros em cartaz e em performance: Civone abriu a noite e a roupa em grande estilo! O show foi uma homenagem às mulheres.

Gurgel, eu, Raul e o fotógrafo Antonius Manso... conversa vai, com versos vem...

Depois do show Raul me disse: “Eu sou rebelde. Não sou revolucionário. O revolucionário quer o poder. Eu sou rebelde”. E conversando com Baya, admirando seu entendimento e diversidade musical mostrados no show, e comentando com ele sobre o purismo de Natal, falei que muitas pessoas têm dificuldade de escutar com naturalidade tanto Chet Baker quanto Sex Pistols. Baya me disse:

- Pra mim é tudo punk!

Carito

17 Comentários para ““Pra mim é tudo punk””

  1. Ricardo França (Gêrêrê)30/8/2010 às 12:26

    Cariiiiiiiiiiitoooooooo, Socorro… Anotaram a placa do trem ? O que foi aquilo, me acuda Carito !!! Vou passar muito tempo com aquele som na minha cabeça, devia ser proibido um cara como Raul fazer shows tão poucas vezes no ano,e aquele cara da peformance no final foi animal, Aquilo foi ensaiado ou foi na hora ??? alguém filmou??? se filmou disponibiliza para esse povo tão carente de CULTURA. Vamos agir, quem sabe uma releitura do Modus Vivendi ??? Abraços do Gêrêrê !!!


  2. sobre o comentário acima ou abaixo: e precisa de ensaio pra tirar a roupa? não acrescentou muita nem pouca coisa, não mesmo… carito, adoro a intensidade e verdade nas palavras, beijoca.


  3. Gererê: foi uma verdadeira explosão – tipo as suas, nos saudosos shows do Modus!!!


  4. Oi Joanisa! Que bom você por aqui! Seja bem-vinda! Sempre!

    E como diz a “Sagrada Escritura dos Repentistas”:

    “Olha a defesa é natural / cada qual para o que nasce
    Cada qual com sua classe / seus estilos de agradar”…

    Beijos! Te adoro!


  5. Uma explosão mesmo. É incrível o Raul. Roqueiro no sentido pleno, de transgredir, anarquizar, viva a desordem/rebeldia de Raul, para desestabilizar a ordem imposta de fora para dentro. Quando vou para o show da Alcatéia Maldita, dos Poetas Elétricos ou quando visito seu blog Carito, me sinto mais viva, roqueira, mais humana. E quanto às performances de poesia e nudez: se precisam de ensaio? Não sei. Mas, sei que precisam de muita consciência, sensibilidade e conteúdo artístico mesmo para ficar bonito como ficou. Nota 1000 para Raul e sua matilha, aos artistas que promoveram a performance, e a Nalva pelo esforço fantástico em promover trabalhos autorais. ABAIXO A DITADURA DOS COVERS !!!
    Beijos.


  6. Pois é, Rosa! Na primeira vez que vi Raul cantando com a Alcatéia Maldita no início dos anos 80 eu pirei! Já tinha ouvido falar dele desde os anos 70, eu ainda na primeira adolescência. Eu precisaria de mais outro post, outros posts de blogs, sites e luzes, livros vivos e uivos mis para transmitir a sensação da força poética e nordestenidade do/para o mundo que senti naquele momento: rock-atitude regional me levando para as altitudes universais! Sem dúvida um cara que eu fiquei fã à primeira vista, adição à primeira audição, um cara que me influenciou muito, um homem-lobo que me ensinou outras maneiras de olhar a lua e viver a rua!

    O que me impressiona mais hoje em dia e continua me estimulando, é, depois de tanto tempo, a sede do novo, é a sede de novo, que ele tem de fazer novas músicas e continuar fazendo shows, mesmo sazonais, sempre autorais, renovados, com a força de todos os mundos e de todos os tempos, não importando a quantidade e sim a qualidade artística e humana.

    Ainda hoje lembro e sei cantarolar trechos de músicas daquela época, como Vivo Muito Bem, Feira do Alecrim, Cumpadre Chico Maneiro, além da clássica Floresta Marrom, etc., mesmo não sendo registradas em lps ou cds… Assim como já cantarolo as de hoje e fico torcendo pra ele incluir as minhas preferidas no set list dos shows…

    Quanto às performances… Hoje sinto que toda nudez não será mais castigada, nem toda nudez será mastigada.. rs… “Sentir que o resumo é de cada um”…

    The show must go on…


  7. Ah! Civone me repassou agora os créditos das fotos: ICAP / Instituto Cultural e Audiovisual Potiguar .

  8. Sheyla Azevedo30/8/2010 às 17:16

    Lamento não ter ido. Principalmente na parte do “conversa vai, com versos vem”. bem a sua cara mesmo.


  9. Ah! Como eu gostaria de uns “com versos vem” com você! Faz tempo, né Sheylinha? Saudades dos nossos encontros com Moacy na Confeitaria Atheneu!

  10. Raul Andrade seduz roqueiros |4/9/2010 às 16:48

    [...] Velho lobo natalense volta e meia entra em cena e mais uma vez encantou público ávido por sua energia avassaladora. No show realizado dia 27 de agosto, em Nalva Melo Café Salão, os aplausos foram muitos. O espaço se encaixou direitinho ao formato intimista da proposta roqueira. O blog agradece o carinho e a atenção de colegas que repercutiran o show antes e depois. Na sequência, segue um rol de links do material publicado na net. Valeu mesmo. Beijos e até a próxima! Eliade Pimentel, by Nalva Melo.  ATENÇÃO! FICAMOS TÃO LISONJEADOS COM O TEXTO DE CARITO QUE REPRODUZIMOS UM TRECHO E ENCAMINHAMOS AO SÍTIO DO AMIGO. http://www.carito.art.br/?p=772 [...]


  11. “O que me impressiona mais hoje em dia e continua me estimulando, é, depois de tanto tempo, a sede do novo, é a sede de novo…”

    Carito, ando sumida da net, mas, cara, ler vc é um prazer que vou retomar, viu.

    Adorei o post.

    Beijão.


  12. Oi Adrianna! Há quanto tempo… Que bom você por aqui! Seja bem-vinda! Beijos!

  13. Rosamaciel17/9/2010 às 5:04

    AHHHHHHH! Voces me matam de inveja!!
    Eu fico aqui de longe me lambuzando com os comentarios, imaginando as cenas.
    Minha amiga Civone como sempre tao linda!!O macaquinho cor de rosa ist augezeichnet!!!Estou ate agora
    tentando advinhar o que aconteceu nesse Salao da Nalva.
    SOCOOOOOORRO!!!Eu tambem nao gosto de morar longe.
    Longe da minha banda de rock predileta…longe das noites Natalenses. Longe, simplesmente,
    longe…”viel zu weiter”.

  14. Manoel Bomfim27/11/2010 às 10:13

    Civone minha musa becodalamense está D I V I N A tanto na foto apresentando o Alcatéia como na outra: “PENSO.LOGO.INSITO”. Um dia inda me caso com essa mulher, nem que a vaca tuça… Hehehe.

    Bjo Civone


  15. Obrigado pela visita, Bonfim! E viva Civone, ciclone!!!


  16. he iai mano que legal, tava procurando raul cruz credo e seus lupus sapiens e te encontrei, blza que vc existe.
    abraççus
    ginani


  17. Valeu Ginani! Há quanto tempo! Apareça sempre! Abraços!

Deixe seu comentário

Feed RSS

Arquivos

Leia também

  1. Adriana Karnal – Poemas
  2. Ailton Medeiros
  3. Alex Medeiros
  4. Alice Ruiz
  5. ananomundo
  6. Antonio Cicero
  7. Antonio Miranda
  8. Arnaldo Antunes
  9. Arnaldo Baptista
  10. Arrigo Barnabé
  11. Arthur Nestrovski
  12. As palavras têm sabor
  13. Atire no Dramaturgo
  14. Aventuras do Hammer
  15. Balaio Porreta 1986
  16. Bar do Bardo
  17. Bicho Esquisito
  18. Bloco de Notas
  19. Blog de Bordo
  20. Bruna Beber
  21. Cabelos de Sansão
  22. Caminhar
  23. Canto de Página
  24. Carla Bruttini
  25. Carlos Reichenbach
  26. Casa das Musas
  27. Cefas Carvalho
  28. Cep 20.000
  29. Chacal
  30. Climerio Ferreira
  31. Contracampo
  32. Coquetel Molotov
  33. Cosmunicando
  34. Cronópios
  35. Da lama ao caos
  36. Descobertura
  37. Diário do Tempo
  38. diariodoimproviso
  39. Digestivo Cultural
  40. Disruptores
  41. Dissonancia
  42. DoSol
  43. E, Terna Luz
  44. Edu Gomez
  45. Ellenismos
  46. Em Palavras
  47. Escritoras Suicidas
  48. Escritos de Ada
  49. Escritos de Alice N.
  50. Escrituras Sangradas
  51. Espelunca
  52. Esto no es una revista
  53. EU VOU!
  54. ex-Socialistas, ex-Sociólogos, ex-Sociopatas
  55. Fabrício Carpinejar
  56. Férias no inferno
  57. Fernando Catatau
  58. FFF
  59. Flávio Freitas
  60. Flor de Craibeira
  61. Franklin Jorge
  62. Frederico Barbosa
  63. Gabriel Novaes
  64. Grande Ponto
  65. Grupo Casarão de Poesia
  66. I Poeti Nomadi
  67. Jorge Mautner
  68. Lado (R)
  69. Lama Fértil
  70. Leonardo Sodré
  71. Loba
  72. Lume Filmes
  73. Luz de Luma
  74. Macário Campos
  75. Mad Dogs
  76. Marcelo Rubens Paiva
  77. Mário Ivo
  78. Maternidade do Texto
  79. Metamorfraseando
  80. Mudernage
  81. Mundo Fantasmo
  82. Museu de Tudo
  83. MUSEU VIRTUAL ABRAHAM PALATNIK
  84. Musica Potiguar Brasileira
  85. Nalva Melo Café Salão
  86. NaReDe.com/Civone
  87. Nariz de defunto
  88. Nicolas Behr
  89. O Carapuceiro
  90. O Fiasco
  91. O Inimigo
  92. o refúgio – sandra camurça
  93. O Teorema da Feira
  94. Obra-Total
  95. Os Poetas Elétricos
  96. Pablo Capistrano
  97. Paraíso Perdido
  98. Parece que foi assim
  99. Péricles Cavalcanti
  100. Plog
  101. Poema/Processo 1967
  102. poesia concreta
  103. Poesia Sim
  104. Poetas azuis paixões vermelhas amores amarelos – Blog de Jóis Alberto
  105. Poni Micharvegas
  106. Portal Rock Potiguar
  107. Potiguarando
  108. Putas Resolutas
  109. Querido Bunker
  110. Rede Potiguar de Música
  111. Revista Catorze
  112. Rita Machado
  113. Romério Rômulo
  114. Sebo Vermelho
  115. Senhor F
  116. SIBILA
  117. Simona Talma
  118. Suave Coisa
  119. Substantivo Plural
  120. Tanto Mar
  121. território potiguar
  122. Toca do Centauro
  123. Todas as palavras merecem um lugar
  124. Tom Zé
  125. Torquato Neto
  126. Uma Casa em Beirute
  127. uma historia à margem
  128. Umas & Outras
  129. UNS & UNHAS
  130. Vanessa Campos Rocha
  131. Versos deLírios
  132. Versos Poti
  133. Virada num Traque
  134. Viviane Mosé
  135. Vocabulário da Raça
  136. Zumbi escutando blues
  1. blog
  2. biografia
  3. modus vivendi
  4. os poetas elétricos
  5. vídeos
  6. na mídia
  7. contato

© Copyright 2010 design by DZ3. Todos os direitos reservados.